Por Matilde Balro, repórter 60+, especial para o Profissão Repórter 60+

Maria Carolina Toledo é organizadora do bazar

Uma oportunidade de fazer compras com bom gosto e propósito foi o que o Bazar da Praça ofereceu aos consumidores que visitaram a Casa Panamericana no final de semana que antecedeu o Natal. O Bazar é organizado sazonalmente por Maria Carolina Toledo, que há 12 anos, com amigas e sócias Fernanda Nogueira, Tatiana Grinfeld (em memória) e Carol Toledo, teve a ideia de juntar coisas bonitas, estabelecer uma rede de pessoas e reunir amigos, uma iniciativa que deu certo desde sua primeira edição. Atualmente, Maria Carolina e Fernanda organizam os eventos com a ajuda da colaboradora Luciana Pinesi. Com uma curadoria que busca talento, criatividade, propósito e bom gosto, a própria organizadora é uma das expositoras, fazendo o design e confeccionando bijuterias a partir de materiais como a cerâmica pintada por ela, tecidos importados, entre outros.

 

Flor do Brumado: trabalho social e produtos únicos e exclusivos

Também marca presença a iniciativa SkeletonLeaves e ou Flor do Brumado, projeto social que Cida Barros desenvolve na região de sua fazenda em Matão, na zona rural do município de Mogi Mirim. Ao observar na comunidade local mulheres ociosas enquanto seus maridos iam para o trabalho, iniciou o projeto, ensinando-as a colher folhas e flores caídas ao chão, pela natureza ou pela época de poda, para utilizar como matéria-prima para os arranjos florais. Hoje, a linha de produtos inclui porta-guardanapos, fios florais e arranjos. O resultado foi proporcionar renda, sociabilização e o prazer de verem seus trabalhos encantarem pessoas e lugares. “As folhas e flores precisam ser colhidas ainda com vida,suas folhas precisam ser esqueletizável, ou seja, ter a fibra na sua composição, para que não se desfaçam durante o processo de cozimento. Nossos produtos já estão no exterior com o nome SkeletonLeaves e já foram solicitados para a decoração de um casamento em Paris, na França, por exemplo”, conta com muita vivacidade Isamara Cossoy, de mais de 60 anos de idade e colaboradora do projeto.

Flávia Verlangieri, estilista da marca Zona de Conforto

 Muito alto astral é a estilista Flávia Verlangieri, de 62 anos que cria modelos que ela mesma veste. Com o nome “Zona de Conforto” e apesar de atender a diversos públicos, sua marca exprime exatamente o que a mulher madura procura com muita “bossa”, como ela diz. A inspiração, segundo ela, “vem da vida, das ruas, do Brasil, nosso país tropical”. Sua forma de atendimento é a domicílio, levando para a casa da cliente uma mala com modelos que podem ser provados sem pressa, além de expor em feiras e bazares há mais de 10 anos.

Marília Alcântara, criadora da marca Os Guris

 A jovem expositora Marília Alcântara, de Jundiaí- SP, após finalizar duas faculdades e morar na Austrália por dois anos, não viu propósito em sua área de atuação, quando retornou ao Brasil. Descobriu-se ao criar a marca “Os Guris”, de bonecos artesanais. A ideia surgiu após confeccionar um boneco para presentear uma amiga; mas o dom é influência da mãe, que fazia bonecas e Marília, na infância, brincava de ajudá-la. Desde então, ela coleciona boas histórias. “Certa vez, uma cliente pediu para confeccionar dois bonecos com ares de praia, para representar a si mesma e seu namorado, que adoram praia. Tempos depois, o rapaz me procurou com os bonecos, pedindo para que eu desse nova aparência: de noivos. Ele iria pedir sua namorada em casamento”, lembra, encantada pela oportunidade de poder participar destes momentos.

Projeto A. Mar: conservas e defumados de peixes produzidos de forma sustentável

 Propósito também é o que move Rodolfo Vilar e seu sócio Ciro Giacomini dos Reis, que contam com a colaboração de Maria Carolina Balro nos eventos. A convivência com o mar ainda nos primeiros anos de suas juventudes com a prática de surf, depois com o mergulho e, finalmente, com a pesca, os levou a descobrir o prazer de estar próximo às comunidades locais. Na praia do Bonete, em Ilhabela-SP, Rodolfo conta que aprendeu a pesca sustentável, o respeito pela natureza e o quão difícil era a vida dos pescadores nativos locais, que ainda enfrentavam as dificuldades comerciais. Decidiu, então, criar o projeto A. Mar que tem como princípios o fornecimento de  alimentos com procedência, priorizando o equilíbrio com o meio ambiente, evitando desperdícios. Após a pesca, respeitada a época da desova, parte da produção é feita na ilha, como o salgamento e defumação. Entre conservas e defumados, destaca-se a bottarga (ovas de tainha, considerado o caviar brasileiro), um ícone da marca. Sua produção de baixa escala faz parte do conceito de respeito à natureza, apresentando-se em feiras gastronômicas e atendendo pelo Instagram de acordo com a época de pesca.

 Para ficar por dentro das próximas edições do Bazar da Praça, consulte o site www.bazardapraca.com.br ou siga a iniciativa nas redes sociais Facebook e Instagram.