Por Matilde Vilar, do Profissão Repórter 60+

Grupo de pessoas acima dos 60 anos, cada um com sua formação, habilidade, competência, conhecimento e criatividade, mantem-se ativo e se reinventa sob o nome de Trabalho60+. Eles criaram o projeto Lougevidade, valorizando o idoso por meio do trabalho, gerando identificação de oportunidades de novos negócios para todos. E foi neste ano que  a parceria do Trabalho60+ com a Colmeia,  tradicional organização social, deu seu start.

O foco foi a Feira do Aconchego, esperada todo o ano pela população do entorno da Colmeia e de todos os que a conhecem. Uma feira que traz sempre grandes novidades e um cardápio especial delicioso. Na Feira do Aconchego de 2019, entre muitos expositores, os seniores do Trabalho 60 +, abrilhantaram o evento. Uma das representantes foi a artista plástica Norma Grimberg, Ceramista, Designer e Docente da USP que convidou a Designer Virgínia Marchesano, para, juntas, criarem em conjunto a linha Home. As peças que compõem as mesas para Chá e Café foram expostas no evento.

Rogério Vicari, também do Trabalho60+, faz sua arte desde 1978 e trouxe para o evento uma seleção retratando as diversas técnicas usadas, como lápis, tinta, carimbo (sua mais recente técnica), como forma de expressão, focando a figura humana.

Destaca-se também, por sua criatividade, as expositoras:

Marias – bonecas confeccionadas em cabaça e papel-machê pela artista Eliana Gonçalves, representando a mulher brasileira com diferentes materiais, simbolizando a riqueza Natural e cultural do Brasil. Sua segunda coleção de Marias é inspirada nas flores do campo, representando a leveza e a autenticidade feminina. As peças são numeradas e assinadas.

 

Modê Bijus – nasceu da junção de três amigas preconizada por Margareth Amin, convidando Mônica Guimarães e Denise Molina, identificando-se no objetivo, e como costumam dizer: “Juntamos as pedrinhas” Seu logo são três flores representada pela Mandala onde se identificam como a Mônica define: “as três florezinhas somos nós três”. O objetivo da marca é produzir bijuterias que tenham significado para elas como as flores, carro chefe. Procuram materiais exclusivos, como as miçangas tchecas, japonesas que são mais regulares, pedras brasileiras, cristais e muita cor,  outra identidade da marca. Elas definem seu trabalho como “hippie chique”.

O evento na Colmeia foi encerrado com a apresentação do grupo de dança que faz parte do projeto Lougevidade e se reúne no Parque da Aclimação três vezes por semana, formado por pessoas de 30 a 80 anos e orientado pela professora Virgínia Luzia Pereira Ramos.

Trabalho tradicional         

A Colmeia nasceu no início do século vinte, criada por um grupo de educadores preocupados em prover um espaço para cuidar da formação humana dos jovens, da convivência social, da criticidade e de uma visão política do mundo. Passadas tantas décadas, junto com as mudanças sociais e econômicas, os serviços passaram por alterações para atender melhor as demandas dos jovens de hoje. Atualmente atende os filhos dos trabalhadores do entorno, que fazem o contraturno escolar em atividades de cultura, de lazer e psicopedagógicas, além dos programas profissionalizantes, como o programa Aprendiz. A entidade também  abre espaço para projetos específicos, como o Trabalho60+.  A Colmeia hoje é presidida pela Maria Lúcia Capobianco Porto tendo como Administradora Marisa Donatielo.