Por Maria Alice Marques Danesacz

O fisioterapeuta Abrahão Fontes Baptista é graduado pelo Instituto Brasileiro  de Medicina de Reabilitação, com especialização em docência do ensino superior pela Faculdade Beténcourt da Silva, aperfeiçoamento em técnica operatória e cirurgia experimental pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, mestrado e doutorado em Ciências Morfológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-doutorado na Western Sydney University, Australia(2014.

Casado, 51 anos, tem como principais interesses os temas dor, lesão e regeneração nervosa periférica, eletroestimulação funcional, neuromodulação não invasiva e neurociência das práticas de desenvolvimento da consciência. Nesta manhã de 18 de abril, deu uma palestra educativa aos alunos do curso Profissão Repórter 60+ e, na sequência, respondeu às perguntas de alguns alunos. Leia a seguir:

PR 60+ – Como o senhor se interessou e resolveu se especializar nessa área da Saúde?

Abrahão Fontes Baptista –  O fisioterapeuta é o profissional de saúde que mais tem relação com a neurociência, envolvendo exercícios de forma geral ligados à aprendizagem. Sabia que o que não queria para mim seria estar preso a uma mesa em um escritório todos os dias.

PR 60+  – O que o senhor pessoalmente faz para estar mais próximo dos 25% do nível de conectividade de seu cérebro?

Abrahão Fontes Baptista  – Tento fazer coisas diferentes do que normalmente faço, sempre colocando desafios novos em minha vida. Estou aprendendo  flauta transversal.

PR 60+  – O senhor já teve lapsos de memória?

Abrahão Fontes Baptista  -Sim. Toda vez que eu estou mais cansado intelectualmente.

PR 60+  – O senhor costuma controlar o tempo de tela?

Abrahão Fontes Baptista  – Sim. Como vivo só eu e minha esposa – os filhos já foram embora de casa – controlamos o tempo que passamos diante de telas eletrônicas.